Close

As categorias do comércio eletrônico: moda, lar e cosmética

A possibilidade de analisar bem o que comprar e o conforto de não ter que sair de casa são algumas das vantagens destacadas por aqueles que optam por esta metodologia. Mas, também, estão as ofertas (como o Black Friday) que são, sem dúvida, o momento no qual o usuários sentem mais vontade de mergulhar no mundo das compras on-line, bem como a possibilidade de parcelar. Os descontos são bem mais atraentes, embora, às vezes, os sites fiquem congestionados devido a isso. Portanto, é importante encontrar um bom parceiro tecnológico que garanta a disponibilidade (uptime, em inglês) do mesmo.

Nos últimos anos, houve uma novidade: enquanto antes a demanda on-line se focava nos eletrodomésticos e na tecnologia, agora apareceram outras categorias do comércio eletrônico que geraram muito movimento. Trata-se da indumentária, da cosmética e dos artigos para o lar, que foram posicionadas como as estrelas do ano passado. A venda de ingressos para shows não teve o mesmo nível de crescimento que em 2015.

Os setores que mais venderam em 2016

Enquanto no Brasil os setores com mais demanda em 2016 foram os livros (14%), os eletrodomésticos (13%), a moda e os acessórios (12%), os cosméticos e a perfumaria (12%), o lar (9,8) e a telefonia (9%), para este ano especula-se que as vendas com mais perspectiva de crescimento sejam tanto a moda quanto o setor de alimentos.

Desde o ano 2015, a venda on-line no setor de móveis, artigos para o lar e jardinagem estão crescendo. Sem ir mais longe, em 2016 essa categoria (integrada também pela construção e a decoração) cresceu 124% em um ano, tornando-se, dessa maneira, no principal driver de crescimento. Em segundo lugar, estão os produtos de cosmética e perfumaria, no qual se destacou a venda de produtos para o cabelo, chapinhas para alisar e frisar, que aumentaram 104%; e, em terceiro lugar, com aumento de 98%, os acessórios para carros e motos.

 

Financiamento versus compras sem parcelas

A Internet é o primeiro lugar onde o público entra em contato com o artigo que quer adquirir. Os compradores procuram, exploram e analisam diferentes opções antes de tomar uma decisão, para, após isso, comprar aquilo que desejam. A possibilidade de pagar com o cartão é uma coisa importante na hora da compra on-line, acima de tudo diante da possibilidade de realizar transações parceladas. 8 em cada 10 pessoas pagam com cartão de crédito. O financiamento varia de acordo com o ramo, com destaque para as passagens e os eletrodomésticos em 12 parcelas, a indumentária em 6, e a comida em 3.

O aumento de venda por m-commerce

Além do crescimento das vendas on-line, também temos um novo fator: as vendas desde dispositivos móveis. Várias firmas que focam seu negócio no turismo começaram a trabalhar bastante com o mobile, através de ofertas específicas que podem ser utilizadas apenas usando seu App. Inclusive, boa parte das pesquisas surge desde os celulares, uma coisa que está se tornando tendência para qualquer categoria.

Revendo o que dissemos acima, podemos observar que durante o ano 2016 as principais categorias do comércio eletrônico foram a moda, o lar e a cosmética, em termos de tendência de crescimento. As categorias clássicas como a eletrônica, os eletrodomésticos e as autopeças são categorias que estão mais sólidas no mercado. Não há dúvida de que o canal de vendas on-line é indispensável para qualquer categoria, e se houver alguma categoria que ainda não tenha esse tipo de canal, não há dúvida que proximamente o terá.

Close